Ela Sempre Sonhou em Estudar na USP

Como muitos, ela tinha um sonho de estudar na USP.
Veja a seguir a história da Ana Paula Ramos e se inspire para nunca desistir de seus sonhos.



Foram 2 anos de estudos para que o sonho fosse realizado, entretanto muitos amigos diziam que é mais fácil entrar na USP do que sair dela. Pensei que fosse uma brincadeira, ou coisas assim, mas no fundo nunca mais me esqueci dessa colocação e sempre pensei nela em momentos decisivos.

Tudo começou com minha mãe correndo pela casa dizendo que eu tinha conseguido e que era um sonho, uma vez que eu havia estudado minha vida toda em escolas públicas e que estava há quase 5 anos fora da escola – isso mesmo, eu adentrei a maior Universidade do país aos 23 anos, e acredito que isto me garantiu tranquilidade quando recebi as minhas primeiras notas, porque foram todas abaixo de 4!

A matrícula parecia um sonho, o trote muito esperado e divertido, mas o primeiro semestre me mostrou que aquela premissa “é mais fácil entrar do que sair da USP” possivelmente era verdade, contudo eu venci! Formei-me há alguns anos em Letras, com habilitação em Português e Linguística e como a USP é um mundo, tive a oportunidade de estudar Hebraico, Literatura Russa, Israelense e Africana, além de acompanhar inúmeros ensaios da Orquestra Sinfônica da USP, assistir a filmes de países como Noruega e Japão no Cinusp e participar de inúmeras greves, dormindo no Crusp.

Estudar ali me garantiu amadurecimentos riquíssimos, como a possibilidade de ler um texto de maneira profunda ou realizar uma crítica, como também me tornar craque em entender o que é recorte acadêmico... Sim, deixarei os senhores curiosos sobre o que é recorte acadêmico e cientes de que ao entrar na USP, você jamais terá a mesma visão de mundo.

O polo Butantã é enorme, há uma belíssima biblioteca central chamada Brasiliana, muito verde e caminhos que guardo em meu coração, assim como momentos especiais tais quais o de assinar o meu diploma de Bacharel em Letras e o de Licenciada em Língua Portuguesa. Grandes foram as expectativas, muitas atendidas, outras lamentei pelo descaso de alguns, pois o ambiente na FFLCH em muito é sofrido, como em assistir às aulas com mais de 100 pessoas em sala para cumprir créditos que poderiam ser muito melhor aproveitados se houvesse o cuidado e repasse de verba para a contratação de novos professores.

Acredito que a USP é o sonho de muitos, assim como foi e é o meu. Sinto orgulho em ter resistido ao “é mais fácil entrar do que sair da USP” e tenho certeza que estar lá é experiência única. Há muitas oportunidades de cursos, sejam de idiomas ou de férias, com valores acessíveis e pouca divulgação, mas certamente é experiência garantida a quem não estudou na Universidade de São Paulo e quer vivenciar o espaço.

E aí, gostou deste artigo?


Se sim, compartilhe com seus amigos e deixe um comentário.

Me siga também no Canal do Youtube e Facebook.

Um forte abraço!

Comentários

Postagens Populares

Você Sabe Como Fazer Regra de Três Simples?

Google Alertas - Uma ferramenta que você precisa conhecer

TOP 10 de erros gramaticais - Português

Visualizações do Blog